Segunda-feira, 15 de Março de 2004

Terrorismo

Odeio terrorismo.

Quem foi o iluminado que teve a brilhante ideia de praticar o primeiro acto terrorista?
Há quem considere que Jack Gilbert Graham foi o primeiro terrorista, quando em 1955, colocou uma bomba na mala de viagem da mãe para lhe limpar o sebo e receber o dinheiro do seguro. A explosão deu-se num avião da United Airlines e matou 44 pessoas. Porém, Graham apenas queria matar a mãe, o que faz dele um psicótico assassino, mas não necessariamente um terrorista.

Por outro lado, há quem defenda que o terrorismo se pratica desde sempre e eu tendo a concordar mais com esta ideia: incendios de aldeias inteiras, empalações aleatórias, enforcamentos em massa para "dar o exemplo", são tudo formas de aterrorizar populações e mantê-las em sentido e isso já o faziam os Romanos, os Vikings, os Espanhóis, enfim, muitos o fizeram ao longo da história.

No dia 11 de Março, houve um ataque terrorista a Madrid. Bombas, combóios, 200 mortos, mil e tal feridos... pessoas que não têm nada a ver com as paranóias do Bin Laden, as guerras do americanos, as ocupações dos israelitas ou o petróleo do médio oriente. Pessoas que iam trabalhar, estudar, fazer a sua vida normal. Pessoas com sono a cumprir a sua rotina matinal. E é por isso que odeio terrorismo. Porque não tem objectivo, porque é abjecto e sem sentido.

Odeio o George W. porque conseguiu fazer tudo mal e inventar a palhaçada da "guerra ao terrorismo", cujo resultado foi provocar ainda mais os grupos armados islâmicos e virar a sua agressão para outros países. Dois anos e picos depois dos ataques a NY e Washington, a Al Qaeda continua impávida e serena a praticar atentados no coração de cidades ocidentais. Pergunto-me então... o que andam os americanos a fazer no Afeganistão e Iraque? Não era a guerra contra o terrorismo? Não iam capturar o Bin Laden?

É inevitável: condenamos o terrorismo, odiamos os extremistas e logo a seguir, olhamos para o outro lado do atlântico, para os meninos que insistem em tirar a bola aos outros, dar pontapés nos mais pequenos e atirar pedras a ninhos de vespas.
publicado por pedrocs às 10:41
link do post | favorito
De Anónimo a 15 de Março de 2004 às 11:16
Disseste tudo. Sem palavras para comentar. Só... E mais nada.sem palavras
(http://demim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfeição@sapo.pt)
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

.mais sobre mim

.pesquisar

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Multidões súbitas

. Na terra dos vígaros

. Fama.sapo.pt

. O sucesso da inutilidade

. O mártir da época

. CHEGA!

. Fernando Santos, treinado...

. Novo aeroporto

. O Deserto não é a sul do ...

. Aí vem ele outra vez...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds