Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2007

Odeio os abortos

Cá esta Portugal novamente em chamas. O país inflamado com a discussão do aborto e a santíssima trindade nacional a mostrar a sua cara. Ei-la, composta que é pelos mais comuns traços de personalidade da sociedade civil nacional: ignorância, arrogância e estupidez.

Odeio o aborto, mas odeio ainda mais os abortos que andam por aí a fazer campanha. Campanha pelo não e campanha pelo sim. São todos a mesma cambada de demagogos que se aproveitam do baixíssimo QI do povo para promover a sua própria moralidade ignorante.

O aborto é uma coisa má. Ninguém tem dúvidas disso. Tem sempre um grande impacto nas mentes e nos corpos das mulheres que o fazem e muitas vezes afectam também as pessoas que rodeiam essas mulheres.

Um aborto não é uma coisa que se faz assim sem mais nem menos. Já não posso ouvir ninguém dizer que se o sim ganhar passa a bastar "ir ali a uma clínica". Isto é um monte de tangas! Um aborto é um procedimento invasivo, doloroso e arriscado, não é uma dor de cabeça e não se "cura" com uma aspirina.

E é por isso mesmo que é essencial que a estúpida lei do aborto que temos em Portugal seja mudada o mais rapidamente possível. Não é aceitável que mulheres sejam criminalizadas por fazerem abortos, ponto final. Não há mais discussão. Podemos passar meses a discutir se o aborto é moral ou imoral, certo ou errado que não vai fazer a mínima diferença: as mulheres que decidem abortar vão continuar a abortar e vão continuar a sofrer e vão continuar a morrer. E ainda por cima, vão continuar a ir parar à prisão, se forem apanhadas.

É inaceitável. Eu sou contra o aborto, como sou contra a morte: prefiro estar vivo. Morrer não me parece nada interessante. Mas não sou contra a liberdade de escolha e não sou contra a possibilidade de abortar.

Eu sei, é complicado de compreender, é - afinal - um assunto complicado que envolve muito mais emoção do que razão e não espero que a cambada de mentecaptos que habita o nosso país compreenda a complexidade da questão. E é por isso mesmo que odeio as campanhas e sou contra elas. Na verdade, sou contra o referendo, o Governo devia ter tomates e simplesmente mudar essa lei dantesca.

Mas como assim não é, no Domingo, umas horas antes de ir para o Coliseu ver os NIN ao vivo, vou à escola lá da zona votar. Sim, como é evidente.
sinto-me: Enjoado com a conversa
música: "Killing in the name" - Rage against the machine
publicado por pedrocs às 12:06
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Odeio os abortos

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds