Quinta-feira, 6 de Maio de 2004

Transportes públicos

Aí está um tema cheio de ramificações: os serviços prestados pelas transportadoras, os veículos utilizados nos transportes, as pessoas que aí viajam. Quase não tem fim e é uma inesgotável fonte de ódio.

Odeio transportes públicos. Não há bons transportes públicos, não vale a pena fingir. Porque os responsáveis dos transportes, sejam eles quem forem, gostam de fingir que os transportes públicos são bons, simpáticos, confortáveis e rápidos, mas é mentira.

Todos os dias viajo em dois transportes públicos: cacilheiros e metro de Lisboa (aliás, o único do país). E ainda não consegui encontrar algo de verdadeiramente positivo nos transportes públicos. Ocasionalmente viajo de táxi, já viajei de combóio e de autocarro durante uns tempos, portanto também sei como é.

A primeira parte odiosa dos transportes públicos é que temos que nos deslocar até eles. Alguns transportes só partem de determinados sítios, como os combóios, que andam sobre carris e raramente podemos dizer que vivemos mesmo à beira de uma estação. Os transportes que param aqui e ali na cidade também só param em sítios específicos, não é como se pudessemos chamar o 37 até à nossa porta (seja lá o 37 o que for).

Neste aspecto, o táxi ganha. É o único transporte público que podemos chamar até à porta de nossa casa.

Alguns transportes públicos estão situados de tal maneira, que temos que apanhar outro transporte para chegarmos até ele. Que desagradável que é.

O segundo aspecto odioso dos transportes públicos é que temos que esperar por eles. Portanto, não basta termos que nos deslocar até à estação/paragem, quando lá chegamos temos que esperar que o veículo em questão chegue.

Aqui normalmente há duas variantes, a espera desordenada e a espera em fila. A espera desordenada é uma cena dantesca, uma multidão acotovelando-se para se conseguir colocar o mais perto possível do ponto de entrada do veículo. Por exemplo, em Cacilhas, para apanhar o barco, as pessoas são colocadas numa gaiola de vidro, com uma grade em frente à qual se acumulam em grande densidade. É logo aqui que começamos a levar com os odores desagradáveis dos nossos co-passageiros, com os blusões dourados e as saias pele-de-leopardo das matronas de cabelo platinado e com a brilhantina-15-camadas do Zé dos Pentes.

A variante espera em fila (anteriormente conhecida por espera-em-bicha, mas por qualquer razão a palavra "bicha" passou a ser politicamente incorreta), não é necessariamente melhor, porque chegamos à paragem do autocarro e deparamos com uma fila de 150 metros e a primeira coisa que nos apetece é desistir e voltar para a cama.

Bom, na verdade, não há muitas coisas que não nos façam pensar em voltar para a cama, mas isso é outro assunto.

Esperar numa bicha tem ainda a desvantagem das velhinhas que por todos os métodos imagináveis e alguns que só elas mesmo conseguem inventar, tentam passar à frente na dita bicha. Odeio velhinhas que só estão bem a por-se à frente em bichas.

Bem, a verdade é que depois de esperar e desesperar, chega o nosso transporte e a coisa não melhora: nessa altura temos que nos enfiar no dito e aguentar a viagem. Começamos logo por sofrer o primeiro fenómeno odioso, que se relaciona com a entrada para transportes públicos: a incapacidade que os passageiros têm de se distribuir pelo transporte (isto é comum em autocarros e combóios). Por qualquer razão, toda a gente quer ficar junto à porta. E é aí que vamos levar pisões, encontrões e cotoveladas e que o gajo de blusão de cabedal coçado e botas de cowboy nos vai tentar palmar a carteira.

Esta situação de grande entalanço proporciona às nossas fossas nasais verdadeiras sinfonias olfactivas, desde o pintas que cheira ao perfume da moda como se tivesse tomado banho nela, ao manhoso que cheira a quem não toma banho há três meses, porque... bom, porque não toma banho há três meses. O pior é que não temos como nos escapar aos cheiros e muitas vezes, quando há uma travagem mais brusca, os ditos cheirosos vêm direitinhos para cima de nós.

Há muitas outras coisas que me fazem odiar transportes públicos: atrasam-se, são desconfortáveis, são caros para o serviço que prestam, têm sistemas de bilhetes irritantes e que se avaraiam com frequência e, sobretudo, fazem-me sempre lembrar o trabalho e eu... odeio trabalhar!
publicado por pedrocs às 09:47
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 2 de Maio de 2005 às 16:05

You can also visit the sites dedicated to texas hold em (http://www.jmhic.com/texas-hold-em.html) texas hold em http://www.jmhic.com/texas-hold-em.html (http://www.jmhic.com/texas-hold-em.html)
...

texas holdem
(http://www.jmhic.com/texas-holdem.html)
(mailto:gocha9749@see.it)
De Anónimo a 13 de Maio de 2004 às 02:45
A tua descrição da espera dos barcos tráz-me alguma nostalgia dos meus tempos de estudante e de quando, também eu, passei por essas experiências. Diesel
(http://acido.blogs.sapo.pt)
(mailto:diesel72@sapo.pt)
De transportadora a 19 de Março de 2009 às 13:40
Eita kkkkk
De Transportadoras a 12 de Abril de 2010 às 23:59
Muito bom o Post
Ana

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Multidões súbitas

. Na terra dos vígaros

. Fama.sapo.pt

. O sucesso da inutilidade

. O mártir da época

. CHEGA!

. Fernando Santos, treinado...

. Novo aeroporto

. O Deserto não é a sul do ...

. Aí vem ele outra vez...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds