Terça-feira, 19 de Outubro de 2004

O GIC

As grandes ditaduras e os grandes departamentos anti-democráticos dentro de Governos (aparentemente) democráticos caracterizam-se por uma coisa comum: as siglas.

O que seria do Nazismo sem as SS? O que seria do Bloco Soviético sem o KGB? O que seria da mística letal dos agentes americanos sem uma sigla fixe como CIA?

Mas há outra coisa que os grandes regimes têm em comum: a propaganda. Os posters comunistas são bem conhecidos no mundo inteiro, as palavras de ordem, os murais. Hitler conquistou a população alemã através de campanhas de propaganda bem montadas. Bush é um mentiroso compulsivo e empurrou o seu país para mais uma guerra, mas não deixa de ter possibilidades reais de vir a ser reeleito.

Agora em Portugal temos o GIC! Gabinete de Informação e Comunicação... uma sigla, um nome obscuro e enganador e um objectivo anti-democrático: a propaganda política.

Uma democracia quer-se transparente, mas o nosso Governo decidiu investir qualquer coisa como 2 milhões de euros num gabinete que o ajude a fazer boa figura perante o público. Um buffer, entre a asneirada do governo e os jornalistas, que limpe o pó às histórias e lhe ponha uma fitinha antes de serem contadas.

Depois de censurar comentadores políticos e criar um gabinete de propaganda, falta ao nosso governo instituir uma polícia política que se certifique que ninguém sai da linha.
publicado por pedrocs às 10:54
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 23 de Outubro de 2004 às 23:00
O governo está tão irremediavelmente na mó de baixo que até agora tudo o que a máquina de propaganda conseguiu foi garantir que ele não dormiu a sesta antes de ir àquele desfile de moda.
Claro, eu sei perfeitamente o que aconteceu e realmente não foi uma *sesta* *antes* da Moda Lisboa: foi uma punheta a seguir!!!

Dito Cujo - http://ditocujo.weblog.com.pt/Dito Cujo
(http://ditocujo.weblog.com.pt/)
(mailto:ditocujo@gmail.com)
De Anónimo a 21 de Outubro de 2004 às 13:01
Penso que a atitude mais inteligente a tomar quanto a estes palhaços do governo (este ou outros) é naturalmente a infiltração. Um agente do ódio e do escárnio infiltrado num desses gabinetes, sabotando e ridicularizando-o, provocará mais mossa no dito governo que qualquer violência sobre o mesmo (na forma de blogs ou golpes de estado) já que a violência fará do governo um mito (vê-se no revivalismo nazi) e o escárnio fará ecoar a nossa gargalhada geral, da qual todos os governos têm horror. Concordam?zumzum
</a>
(mailto:zumzum@clix.pt)
De Anónimo a 21 de Outubro de 2004 às 11:01
Obviamente que te odeio!macacoraivoso
(http://odio.blogs.sapo.pt)
(mailto:macacoraivoso@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Outubro de 2004 às 08:57
Acabaste de despertar em mim mais um odiozinho matinal...Como se não bastasse estar no trabalho às 8 da manhã, ter apanhado tudo o que é carro português na 2º circular e ainda ser quinta feira, hoje foi a primeira vez que postaste no meu blog. Isso é profundamente irritante... e, se a intenção era não ter conhecimento do teu blog, agora como vingança vais ter de me aturar todos os dias... Simpático, não? Agora vê lá se me odeias de volta...Toma!Pantera
</a>
(mailto:p.c.r.l@clix.pt)

Comentar post