Quarta-feira, 24 de Novembro de 2004

Farto de idiotas

Epá, estou farto de idiotas.

Há gajos que sabem muito sobre tudo, gajos que sabem muito sobre nada, gajos que não sabem nada sobre nada e depois há gajos que sabem umas coisas sobre algumas coisas e fincam os pés em três ou quatro opiniões dogmáticas e são o que, tecnicamente, se chama uns "chatos do caralho".

Pardon my french.

São gajos que não percebem assim tanto como isso de política internacional mas têm sólidas opiniões sobre o conflicto israelo-palestiniano (normalmente qualquer coisa como: Israel é o opressor, apoiado pelos cães yankees, os Palestinianos são os coitadinhos e viva a Palestina livre!).

São gajos que não entendem muito sobre economia mas pensam que compreendem profundamente o impacto das variações do preço do barril de petróleo nas privatizações nacionais.

São fulanos que não percebem nada de história, mas insistem que os movimentos migratórios dos povos das repúblicas da cortina de ferro contribuiram de forma decisiva para o desiquilibrio social que se vive na Europa Central nos primeiros anos do séx. XXI.

Isto funciona assim: ninguém sabe quem é pior, se os israelitas, se os palestinianos. Nem os israelitas, nem os palestinianos. As coisas são sempre mais complicadas do que simplesmente uns serem bons e os outros serem maus. Assim é como o Geroge Bush vê o mundo: bons e maus.

Aliás, não: eu não sei como é que o George Bush vê o mundo. Como é que eu posso saber? Como eu disse: as coisas nunca são tão simples como parecem. O Bush é manipulado pelo pai e foi levado a invadir o Iraque por causa dos contratos milionários que faziam falta à Halliburton? Se calhar. Ou se calhar ele simplesmente acha que é o líder da liberdade e precisava de derrotar o Saddam Hussein para se sentir realizado. Ou se calhar estava a tentar impressionar o Paulo Portas para tentar conseguir uma noite com ele no Lux.

Eu sei lá! Só sei uma coisa: o mundo é ridículo e caótico. As pessoas estão cada vez mais separadas. Os que mandam dos que se estão nas tintas, os ricos dos pobres, os soldados dos mortos, etc, etc.

É um sem fim de confusões e calamidades e depressões. E no meio disto tudo o que um gajo pode fazer é beber uma imperial, comer uns tremoços, por os pés em cima da mesa e dizer: porra pá, odeio esta merda!
publicado por pedrocs às 11:40
link do post | comentar | favorito
|
13 comentários:
De Anónimo a 27 de Novembro de 2004 às 18:16
É pá eu também.Maria
</a>
(mailto:mrobertson@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Novembro de 2004 às 10:22
eu quero é que o macaco raivoso continue a esforçar-se em ser ORIGINAL!zumzum
</a>
(mailto:zum_zum@iol.pt)
De Anónimo a 25 de Novembro de 2004 às 09:25
Ó Zunzum, porque razão o Macaco não há-de declarar guerra aos seus ódio de estimação, se assim lhe aprouver? O blog é dele. Porque cargas de água há-de o rapaz mudar o que quer que seja? Só porque tu queres? És mais que os outros? As tuas coisinhas são mais importantes? Não gostas dos ódios, não odeias. Prontes!grinch
</a>
(mailto:grinch@grinch.com)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 20:07
Não percebi essa de perseguir o limite da paciência. Para se me esgotar a paciência basta ir trabalhar, ou ver o Santana Lopes na capa do jornal, por exemplo. Quanto a mudar o mundo, nunca disse que não fazia a minha parte: olha, tento convencer as pessoas a mudar para o Firefox, mas mesmo assim a esmagadora maioria não percebe porque é que o IE não presta. E quem sou eu? O dono da Verdade?macacoraivoso
(http://odio.blogs.sapo.pt)
(mailto:macacoraivoso@sapo.pt)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:46
Tento conhecer as coisas e falar depois. Falar por falar, é melhor ser idiota. Não gosto da inoperância, um dos defeitos de muito boa gente. Sei que não posso mudar o mundo, mas posso fazer algo para que isso aconteça, pois se ninguém se mexer, ficamos na estaca zero.

Cumps
http://deondesopraomundo.blogs.sapo.pt/Malk
</a>
(mailto:nunovinhas@hotmail.com)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:38
Assim é que é falar. Este artigo deixou-me com muito boa disposição.
Mas não sou de tremoços, nem cervejas. Sou mai activista.claudia
</a>
(mailto:claudiarodriguesfr@sapo.pt)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:35
enquanto o mundo se contorce em dúvidas, nós podemos ir divertindo-nos com exercícios mais cabais: perseguir o limite da paciência. Por exemplo: tu, macacoraivoso, odeias esperar, certo? então, faz assim um dia destes: passas o dia à espera. vais ver que resulta. Por exemplo: nos transportes, vais sempre de pé, mesmo que o metro esteja vazio. Nas filas de espera, ficas sempre para último e vais dando lugar a toda a gente, sempre a ficar mais tempo na fila...Este exercício pode ser feito em qq parte do mundo e a qq hora do dia ou da noite. Assim sentirás mais intensamente o "passar do tempo" e o estar-se apenas aqui..zumzum
</a>
(mailto:zum_zum@iol.pt)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:28
tá bem, pronto...bora lá escrever um livro juntos.zumzum
</a>
(mailto:zum_zum@iol.pt)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:03
Olha Zumzum, olha, este rapaz achou que este site "é do mais refinado humor". Curioso! E quanto a criticar-me a mim mesmo: o que é que tu sabes? Conheces-me? Lá está: encaixas no perfil. Achas que as coisas são todas simples, a preto e branco, fáceis de perceber à primeira olhada. Mas não são, Zumzum, não são.macacoraivoso
(http://odio.blogs.sapo.pt)
(mailto:macacoraivoso@sapo.pt)
De Anónimo a 24 de Novembro de 2004 às 19:00
GANDA ZUMZUM QUE VAI POR AQUI! Vim cá parar nem sei como, e acho (sou um dos idiotas que acha alguma coisa sobre coisa nenhuma)que este blog é do mais refinado humor... nada tem de ódio !Isto visto "en passant" (secúsemoi mon french). Voltarei com mais tempo. Já agora, um desses chatos que falas deve ser o Nuno Rogeiro, ehehehe.
Tchau e xupa bem !Xupa Nu Pipi
(http://xupanupipi.blogs.sapo.pt)
(mailto:gakusha@sapo.pt)

Comentar post